Confederação Brasileira de Golfe

Argentina e Colômbia vencem o 40º Campeonato Sul-Americano Juvenil de Golfe

31 de março de 2007

Por Marco Frenette

Nesse sábado, dia 31, quarto e último dia do 40º Campeonato Sul-Americano Juvenil, confirmou-se a vitória anunciada da equipe masculina da Argentina. Não só venceram como estabeleceram um novo recorde na história do campeonato, jogando 22 abaixo do par (554). Franco Barrera jogou 69, 66, 75 e 71 (281); Alan Wagner 68, 71, 68 e 74 (281) e Ary Rodrigues 76, 70, 68 e 74 (288). Em segundo lugar, com 578 pontos, ficou a Venezuela. Portanto, as duas equipes estão com vagas garantidas no mundial juvenil no Japão, que acontece em junho deste ano.

Entre as meninas, a taça foi para a Colômbia, com um total de 580 pontos. A segunda colocada teve a mesma pontuação, mas perdeu no critério de desempate, que é a soma dos pontos das jogadoras no último dia de competição.

Na disputa pelo título de melhor jogador individual, Barrera e Wagner empataram, mas o critério da melhor segunda volta deu a primeira posição a Barrera. Assim, ele tem vaga garantida no Orange Bowl Junior Championship, o tradicional campeonato juvenil que acontece na Flórida, em dezembro.

A melhor jogadora individual foi a peruana Kiara Hayashida (foto), que totalizou 286 pontos (73, 75, 68 e 70). Portanto, tem também vaga garantida no Orange Bowl.

Os brasileiros se esforçaram, mas não tiveram presença de espírito suficiente. Mesmo jogando em casa, em um campo que conhecem de cor e salteado, não conseguiram transformar em score essas vantagens. Tanto a equipe masculina (593 pontos) quanto a feminina (608) ficaram em quarto lugar.

Esse campeonato foi marcado por quatro dias de sol forte. O campo do Itanhangá Golf Club estava seco, e os jogadores que batiam mais forte e com mais precisão na bola tinham o bônus de vê-la correr além do esperado, para ficar com um tiro curto para a bandeira.

Assistir aos argentinos jogarem equivaleu a uma aula de golfe eficiente e com explosão. Desde o primeiro dia de jogo, os três jogadores bateram na bola com autoridade e convicção. Eles jogam com a ponta do cotovelo do braço esquerdo voltado para o alvo, para dar linha no tiro. Usam um grip forte e posicionam-se, aparentemente, bem longe da bola – mas é a distância exata para permitir que braços e taco passem absolutamente livres rumo ao alvo. No backswing, a base é sólida, com giro mínimo de quadril e máximo de ombros, o que aumenta o torque no downswing. Esse estilo de golfe que já se tornou marca registrada da Argentina decorre de uma excelente absorção dos fundamentos do swing de golfe ensinado nos EUA. Foi uma exibição memorável de constância, sem espaço para “estilos pessoais”.

Confederação afiliada

Comitê Olímpico do Brasil Internacional Golf Federation R&A Federacion Sudamericana de Golf Comitê Brasileiro de Clubes

Parceiros

Patrocinadores

Premiações

Mapa do Site