Youtube Facebook Twitter Flickr Instagram Contato

Confederação Brasileira de Golfe

Com novas medidas sanitárias, PGA TOUR detalha plano de retorno seguro do golfe

15 de maio de 2020

Esta semana, o PGA TOUR deu o passo importante para o retorno seguro do golfe, oferecendo aos jogadores medidas de saúde e segurança que a organização vai tomar quando a FedExCup 2019-20 for retomada, em junho, com o Charles Schwab Challenge.

Um documento de 37 páginas, enviado aos jogadores em 12 de maio, apresenta uma visão detalhada de um plano abrangente de avaliação e observação dos jogadores já em Fort Worth, Texas, a partir de 8 de junho. A equipe do TOUR trabalhou pesado nos últimos dois meses para preparar o plano, que foi elaborado em conjunto com os principais especialistas da Harvard Medical School, com contribuições da Força Federal de coronavírus dos Estados Unidos e outras ligas esportivas profissionais, além de pesquisadores especialistas.

“Estamos empolgados com o papel que o PGA TOUR pode desempenhar no processo de retomada daquilo que amamos e fazê-lo de forma responsável”, disse Tyler Dennis, vice-presidente e diretor de operações do PGA Tour. “Passamos muito tempo analisando as coisas com muito cuidado e tentando ser transparente com todas as equipes com as quais trabalhamos, para chegarmos a esse documento que chamamos de plano de retormada do golfe”.

E, por mais detalhado e cauteloso que seja o plano, Dennis reiterou que o TOUR não será disputado se não puder ser feito em um ambiente seguro e saudável. Com a mesma importância, ele garantiu que as medidas implementadas não afetarão os recursos médicos e os testes existentes nas comunidades onde o TOUR atua.

O plano continuará a evoluir conforme necessário.

“A abordagem que adotamos é desenvolvida em ‘camadas’ e seu ponto-chave está no distanciamento social”, disse ele. “É algo com o qual estamos todos acostumados em nossas vidas a partir de agora. Sabemos que podemos passar o dia e a semana inteira no local do torneio de uma maneira socialmente distante. Essa é realmente o ponto-chave do plano geral de saúde e segurança”.

Essas medidas de distanciamento social serão reforçadas durante a competição, nas quais foram proibidos apertos de mão e cumprimentos entre os golfistas pós-rodada. Jogadores e caddies também deverão manter distância maior do que o normal.

Também será de grande importância nos procedimentos de distanciamento social o plano completo de testes de detecção do coronavírus, além de uma melhora significativa nas práticas de desinfecção e higiene. Estima-se que uma média de 400 pessoas será avaliada a cada semana.

Jogadores, caddies e outros oficiais de competições serão submetidos a um programa de testes antes da viagem e, novamente, após a chegada ao local do torneio, serão submetidos a três métodos diferentes de detecção. Isso inclui responder a um questionário, passar por uma medição de temperatura térmica corporal e um teste nasal, que é feito para diagnosticar o COVID-19. Durante a semana, qualquer pessoa que chegue ao local do torneio deve passar por um questionário e avaliação térmica antes de entrar no clube.

Caso alguém registre temperatura acima de 38º durante o teste diário de temperatura, o TOUR iniciará um protocolo que pode incluir um novo teste de COVID-19.

O TOUR tem como objetivo ter os resultados desses testes dentro de um prazo de 24 a 48 horas. Para facilitar esse processo, já identificou laboratórios locais que não estão carregados com testes, para reduzir o tempo de resposta. No caso de um teste positivo, a pessoa deve ser isolada por um período mínimo de 10 dias. O TOUR e os torneios fornecerão suporte durante qualquer período de isolamento necessário.

O acesso limitado aos torneios começará com os espectadores, que não poderão participar dos quatro primeiros eventos do TOUR depois que o circuito recomeçar. O Pro-Am também foi suspenso, por enquanto. Nem mesmo os parentes dos jogadores poderão comparecer aos torneios. No que se refere à equipe de apoio dos jogadores, será reduzida apenas a um instrutor ou intérprete. O acesso à sede do clube também será limitado apenas àqueles autorizados e que passaram nos testes.

O acesso da imprensa será limitado e as entrevistas individuais foram descartadas. As sessões de perguntas serão realizadas em uma área levando em conta o distanciamento social.

Equipamentos de proteção individual, como máscaras, e itens de higiene, como toalhas e desinfetantes para as mãos, estarão disponíveis.

A “bolha” controlada do TOUR também se estenderá para além do campo de golfe. Os jogadores serão incentivados a ficar em um hotel designado e o TOUR irá fornecer vôos charter entre os eventos PGA Tour, PGA Tour Champions e Korn Ferry Tour para até 170 jogadores e caddies. Os carros de cortesia serão decididos em cada evento, mas o uso de serviços de viagens compartilhadas não será permitido.

“É muito importante para nós reduzir riscos sempre que possível. Também temos a obrigação de dar um bom exemplo para as comunidades em que jogar e para as pessoas que estarão nos assistindo nas transmissões. Acreditamos que podemos fazer isso com o plano que estabelecemos”, finaliza Andy Levinson, chefe de torneios e competições do PGA Tour.

 

Confederação afiliada

Comitê Olímpico do Brasil Internacional Golf Federation R&A Federacion Sudamericana de Golf

Premiação 2019

Mapa do Site